sábado, maio 20, 2006

Reflexão inicial sobre a Criação Cultural e Artística


Breve Reflexão inicial sobre a Criação Cultural e Artística
Texto Gn 2. 19 e 20
Ramon Goulart – maio de 2006


“O artista participa da construção de uma vida mais verdadeira, profunda, apaixonante e rica num sentido espiritual” Hans Rookmaaker

A criação cultural do homem, ou mesmo artística (para organizar sua realidade interior com a exterior: cosmovisão) é sentida desde os relatos da criação em Gênesis. O ato de Adão dar nomes, é de profunda beleza e revela a nós que a cultura e arte é uma das necessidades existenciai pré-queda! Onde existir um ser humano, ali haverá criação, nomeação, invenção e arte em todos os ambitos.

Deve ser observado outro detalhe que não podemos deixar de comentar: é Deus quem traz os animais para serem nomados pelo homem

“Depois que formou da terra todos os animais do campo e todas as aves do céu, o SENHOR Deus os trouxe ao homem para ver como este lhes chamaria; e o nome que o homem desse a cada ser vivo, esse seria o seu nome. Assim o homem deu nomes a todos os rebanhos domésticos, às aves do céu e a todos os animais selvagens...” Gn 2. 19, 20 NVI

Deus traz, incita e evoca o uso da criação homem! Penso que não é forçar a barra, dizer isto: que neste texto Deus é o agente inicial para a criação cultural do homem.

“... O Criador deixou os animais inacabados, faltava-lhes um nome. E mandou que Adão lhes dessem nomes. Dar um nome é colocar na coisa uma palavra portadora do meu desejo: misturar a coisa com o meu desejo...” Rubem alves – O quarto do mistério, p. 94

Assim, do domínio e governo do homem, depende a ordenação do ambiente que ele vive e se relaciona. A cultura e a arte seriam então a repercussão exterior do impacto do mundo exterior no interior do ser humano. É a “leitura” dele do que vê , ouve, percebe, cheira, sente e toda a gama de informações que são chegadas a ele. É fruto da beleza e criatividade no homem, enfim tudo o que ele molda, cria, pinta, compõe, escreve, constrói.

É curiososo que este “choque” que acontece entre a criação de Deus e o homem é também parte importante na criação artística. Se nos perguntarem o porque a igreja atualmente está tão pobre culturalmente e artisticamente, certamente responderíamos que este aqui é um dos motivos: não ocorre impacto entre o mundo criado, a natureza e tudo o mais porque as pessoas da igreja não vêem mais este mundo. Estão de malas prontas para o céu.

Uma última observação que gostaríamos de colocar é que assim como Deus traz para o homem, deveríamos como parte deste novo Adão (Cristo), pedir a Deus que nos direcione para a recriação cultural e artística neste e deste mundo. Penso particulamente que uma das portas para o valor do resgate se encontra nisto.
Descartamos portanto a idéia de que a criação cultural e artística é resultado pós-queda como sugerem alguns, mas sim que é e faz parte da constituição do ser humano, enquanto criatura e enquanto co-participante com Deus da criação/organização do mundo.

É como disse Hans Rookmaaker:

“o artista não necessita de justificação. Deus lhe deu talentos, lhe chamou e não podemos continuar sem ele.”

Um comentário:

Anônimo disse...

muito pertinente!