sexta-feira, maio 11, 2007

A Música Evangélica Brasileira -

(Livro Lançado pela Editora da MK publicitá)

Denise Frederico durante a palestra do livro "A Música na Igreja Evangélica Brasileira", lançado pela MK Editora MK Editora promove encontro com a escritora Denise Frederico, uma das maiores especialistas do paísBruno BarreiraNa última quinta-feira, dia 15 de março, a MK Editora promoveu o lançamento do livro "A Música na Igreja Evangélica Brasileira", de autoria de Denise Frederico, doutora em teologia e mestre em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O evento aconteceu na capela do Seminário Batista do Sul, na Tijuca, no Rio de Janeiro, e contou com a participação do cantor Alex Gonzaga, um dos maiores ícones do segmento gospel, que também é vocalista da banda Novo Som.A apresentação ficou por conta do pastor e escritor Israel Belo, reitor do Seminário Batista do Sul, autor de livros como "Dia a Dia com Deus Através da Bíblia" e "Se Meu Povo Orar", ambos lançados pela MK Editora. Denise Frederico ressalta que o estudo sobre a música evangélica no Brasil ainda é muito incipiente e deixa a desejar nos cuidados com a apresentação nas igrejas. "O estudo sobre a música evangélica brasileira ainda é muito incipiente. Muitas vezes nós temos pessoas bem intencionadas, mas não preparadas. Assim, a questão teológica, que traz as razões, os problemas etc, acaba ficando de lado. Uma das coisas mais importantes é que conseguimos abordar assuntos que são verdadeiras lacunas, nunca debatidas aqui no Brasil. Outra questão, é que o livro não se dedica apenas a músicos, mas também aos pastores, líderes, diáconos e presbíteros, para abrir mais a visão. Isso porque há muitos casos em que os líderes não se preocupam muito com esta questão e deixam tudo sob a responsabilidade exclusivamente sobre a equipe de louvor", observa Denise.A autora destaca ainda a questão de que a Igreja tem se preocupado muito em atender os desejos dos jovens e acabam esquecendo os fiéis antigos. "Hoje nós estamos vivemos uma certa ditadura neste sentido. Não que os jovens não possam ter parte nisso, mas é importante observarmos que eles não devem ser os donos absolutos deste espaço nas igrejas. Acredito que a questão tem que repousar sobre o pastor, para que haja mais controle, com mais embasamento teológico e bíblico. Eu acho, inclusive, um pouco desrespeitoso com os fiéis da terceira idade, que gostam dos hinos e louvores antigos. Até porque o culto é uma comunidade, feito para todos. Sem esses cuidados, vejo falta de liderança e modismo", afirma.A autora diz que toda essa preocupação é para mostrar a importância da música dentro das igrejas, que demanda muita preparação. "Atualmente, muitos se autodenominam 'levitas', mas não sabem realmente quem foram os levitas e a formação que eles tiveram. Só para se ter uma idéia, somente com trinta anos de idade que eles poderiam, de fato, oficiar o culto. Enfim, eles estudavam muito. Hoje em dia há muita empolgação, mas pouca preparação. Tudo é feito dentro do método papagaio", explica.Em relação ao evento promovido pela MK Editora, Denise ressaltou que o encontro atendeu a todas as suas expectativas. "Eu gostei muito da participação do público, achei que o povo estava muito interessado e isso é muito importante. O lançamento atendeu todas as minhas expectativas, a capela esteve cheia, e eu espero que este livro se torne num instrumento de estudo".O cantor Alex Gonzaga (foto) apresentou algumas músicas de seu CD "Canções, Eternas Canções 2" e disse que o evento foi bastante produtivo. "Estou muito feliz em poder participar deste momento, principalmente junto com a Denise, que é uma mulher muito inteligente. Acho bom quando nós podemos esclarecer, conversar, trocar idéias sobre tudo o que envolve o trabalho com Deus. A música é uma parte importante disso. E isso nos motiva a ler mais e debater mais. É este o objetivo do livro", finaliza.

Nenhum comentário: