quinta-feira, outubro 30, 2008

Juarez Moreira

Segue o link para se ouvir e ver o programa TV Câmara - Talentos
Espaço reconhecido para artistas consagrados e novos nomes da música brasileira. Todo sábado, às 23h30.

bom proveito gente!

http://www.camara.gov.br/internet/tvcamara/default.asp?selecao=MAT&velocidade=100k&Materia=71665

paz e arte

Ramon Goulart

Novos links da boa Música

Gente seguem mais dois links para se baixar e ouvir boa música.
Abraços e bom proveito.
Obs: eles serão colocados ao lado da página.

http://musicainstrumentalbrasil.blogspot.com/
http://gringo-musicadaboa.blogspot.com/

terça-feira, outubro 28, 2008

6° Edição - 27/10/08 - Segunda com Música de Primeira

Tivemos mais um encontro, e foi simplesmente demais! Participaram conosco Ivan Mello, Os Black de Cristo e acabou rolando uma canja com a Dupla do MpbBlack! Seguem as fotos e vídeos. Nos vemos daqui 15 dias! ;-) Vídeos
video
videoMpbblack:
videoMpbblack com a cozinha dos Blacks de Cristo: Ramon Goulart (voz e semiacústica, Jaiminho (voz e violão), Dudu batuca (batera), Dirley (baixo), Matteu Ricciard (sax soprano
videoIvan Nogueira
video

terça-feira, outubro 21, 2008



Meditações... (baseado do texto de Agostinho "As duas cidades")
Leonilson Rodrigues

A orientação da ação política cristã, de uma ação que se compõe de discernimento, juízo e eleição de uma vontade e de um compromisso, está relacionada com o caráter duplo do Estado, que possui ao mesmo tempo a possibilidade de oferecer e a necessidade de receber a imagem analógica do Reino de Deus que a Igreja anuncia. O Estado não pode ser uma réplica da Igreja, nem uma antecipação do Reino de Deus. Em sua relação com a Igreja tem realidade própria e necessária e em sua relação com Deus representa – da mesma maneira que a Igreja – um fenômeno puramente humano, acompanhado de todas as características deste mundo temporal. Não se pode pensar em identificá-lo nem com a Igreja, nem com o Reino de Deus. Mas, por outra parte, desde o momento em que está fundado sobre uma disposição particular da vontade divina, e porque pertence na realidade ao Reino de Cristo, não se pode dizer que seja autônomo. Não poderia existir independentemente da Igreja e do Reino de Deus.
Por esta razão não se poderia falar de uma diferença absoluta entre a Cidade e a Igreja por um lado, e a Cidade e o Reino, por outro. Logo, fica uma possibilidade: desde o ponto de vista cristão, o Estado e sua justiça são uma parábola, uma analogia, uma correspondência do Reino de Deus que é o objeto da fé e da prédica da Igreja. Como a comunidade civil constitui o círculo exterior em cujo interior se inscreve a comunidade cristã, com o mistério da fé que ela confessa e proclama, as duas, tanto uma como outra têm o mesmo centro do qual resulta a primeira, distinta pelo princípio no qual está fundada e pela tarefa que lhe corresponde, se encontra forçosamente na relação analógica com a verdade e realidade da segunda; analogia no sentido de que a Cidade é capaz de refletir indiretamente, como por um espelho, a verdade e a realidade do Reino que a Igreja anuncia.
Mas como está condenado a continuar a ser o que é e a atuar dentro de seus próprios limites, o Estado, como reflexo da verdade e da realidade cristã não possui justiça e consequentemente não possui também existência intrínseca e definitiva. Ao contrário, sua justiça e sua existência estão sempre gravemente ameaçadas e sempre deve se perguntar se, e até que ponto, está cumprindo com suas tarefas de justiça. Para preservar a comunidade civil da decadência e da ruína é necessário recordá-la de quais são as exigências desta justiça que deve representar. A comunidade civil, pois, precisa desta analogia tanto quanto é capaz de criá-la. Por esta razão necessita uma e outra vez um quadro histórico cujo fim e conteúdo possam ajudá-la a chegar a ser uma analogia, uma parábola do Reino de Deus, permitindo a ela cumprir as tarefas da justiça civil. Mas, nesses assuntos, a iniciativa humana não pode orientar-se somente por si mesma. A comunidade civil, como tal, não conhece nem o mistério do Reino de Deus, nem o centro escondido do qual depende e diante do testemunho e mensagem da comunidade cristã é neutra. Por tanto, tem que se limitar a buscar sua água nas “cisternas rachadas” do chamado direito natural. Por si mesma não pode lembrar-se do critério verdadeiro de sua justiça, nem colocar-se em movimento para cumprir com as tarefas desta justiça. Justamente por esta razão é que precisa da presença às vezes incômoda e saudável da atividade que se desenvolve ao redor do centro comum dos dois domínios: a presença da comunidade cristã no exercício de sua corresponsabilidade política.
Sem ser o Reino de Deus, a comunidade cristã sabe algo dele, crê, espera e ora no nome de Jesus Cristo e anuncia a excelência deste nome sobre todos os outros. Nesse ponto não é nem neutra nem impotente. Quando passa ao plano político para tomar sua parte de responsabilidade não abandona sua atitude “comprometida”, esta atitude de fidelidade ao único Senhor.
Para a Igreja, aceitar a parte de responsabilidade que lhe corresponde significa uma única coisa: tomar uma iniciativa humana que a comunidade civil por sua parte não pode tomar, dar a comunidade civil um impulso que ela não pode dar a si própria, fazê-la lembrar das coisas que a comunidade civil não sabe lembrar por si mesma. Discernir, julgar, eleger no plano político implica sempre para a Igreja ter que aclarar as relações que existem entre a ordem política e a ordem da graça, para azar de todo aquele que possa obscurecer esta relação.
Entre as diversas possibilidades políticas do momento, os cristãos saberão discernir e eleger aquelas cuja realização leve a uma analogia, a um conteúdo de sua fé e de sua mensagem. Os cristãos se encontrarão ali onde a soberania de Jesus Cristo, acima de todas as coisas de ordem política ou de outras ordens, não é obscurecida, mas evidente. A comunidade cristã exige que a forma e substância do Estado, neste mundo caduco, orientem os homens em direção ao Reino de Deus e não os distanciem. Não pede que a política humana coincida com a de Deus, mas sim, que na imensa distância que a separa daquela, seja paralela. Pede que a graça de Deus, revelada de cima e atuando aqui em baixo, se reflita na totalidade das medidas exteriores, relativas e provisórias assumidas pela comunidade dentro dos limites das possibilidades que este mundo oferece.
É, pois, em primeiro e último lugar, diante de Deus – este Deus que em Jesus Cristo revelou sua misericórdia aos homens – que ela exerce sua responsabilidade política. Todas suas decisões políticas (discernir, eleger, julgar, querer) têm por isso valor como testemunho, que não é menos real por ser um testemunho implícito e indireto. Sua ação política é pois, também, uma forma de confessar sua fé. Exorta à comunidade civil para que saia de sua atitude de neutralidade, de ignorância espiritual, de seu paganismo natural, para comprometer-se junto com ela, diante de Deus, em uma política de responsabilidade compartida. Desencadeia, além disso, o movimento histórico cujo fim e conteúdo são fazer da cidade terrestre uma parábola, um sinal analógico do Reino de Deus, permitindo a esta cumprir com as tarefas da justiça civil.

segunda-feira, outubro 20, 2008

Enéias Xavier - Lançamento do seu novo cd: O Peregrino



ENÉIAS XAVIER LANÇA SEGUNDO DISCO NO MAP
"Peregrino" tem versão ao vivo no projeto Música no Museu

O baixista, pianista, violonista e compositor mineiro Enéias Xavier faz uma única apresentação do show de lançamento de seu segundo CD, "Peregrino", no Museu de Arte da Pampulha no dia 22 de outubro, quarta-feira, às 21 horas dentro do projeto Música no Museu.
Os ingressos custam R$ 10,00 e podem ser adquiridos no próprio MAP ou na loja CD Plus (Rua Paraíba, 1399, Savassi). A renda é revertida para a conservação do Museu.
O projeto Música no Museu é uma realização da Veredas Produções patrocinado pela Gerdau Açominas , através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O projeto está no oitavo ano de sucesso, sempre com o objetivo de apresentar a boa música ao público que passou a utilizar cada vez mais o MAP como espaço de lazer e cultura.
Um dos artistas que simbolizam a nova geração da música instrumental brasileira e mineira, pela capacidade de aliar grande habilidade técnica com uma visão de mundo ampla e arejada, Enéias é um dos mais requisitados músicos da cena atual.
Vencedor do concorrido Prêmio BDMG Instrumental e do Prêmio Novos Rumos, tem no currículo apresentações e gravações com dezenas de artistas nacionais e internacionais, incluídos numa extensa lista que vai de Maria Schneider e Toninho Horta a Nelson Ângelo, Chico Amaral, Vana Gierig e Juarez Moreira.
Tocou em projetos como o Tim Festival, o Savassi Jazz Festival, o Conexão Telemig Celular e o show que comemorou centenário de Belo Horizonte.
Ex-aluno da FUMA, onde estudou piano e teoria musical, e da Fundação Clóvis Salgado, onde aprendeu o baixo acústico que se tornou seu principal instrumento, Enéias fez parte do antológico trio mineiro formado pelo baterista Nenê.
Seu primeiro disco, "Jamba", de 2004, foi um dos melhores lançamentos do ano em Minas Gerais. E "Peregrino" mantém a qualidade e mostra a evolução de um instrumentista e um compositor superlativo.



O show, com o melhor do repertório dos dois discos, conta com as presenças dos músicos: Lincoln Cheib e André "Limão" Queiroz na bateria, Ricardo Fiúza no teclado e Wender Pereira no saxofone. E participações especiais de Chico Amaral no saxofone e Matheus Barbosa, nova promessa da música mineira, na guitarra. Matheus Babosa é um jovem guitarrista que foi descoberto por Enéais Xavier e tem despontado no cenário musical nacional, já tendo tocado com grandes nomes da nossa música, dentre eles, Juarez Moreira e Marcio Bahia.



MÚSICA NO MUSEU
Enéias Xavier – Lançamento do CD “Peregrino”
Local: Museu de Arte da Pampulha (Av. Otacílio Negrão de Lima, 16585)
Data: dia 22 de outubro - quarta-feira
Horário: 21 horas
Ingressos: R$ 10,00 (dez reais)
Ingressos à venda no MAP e loja CD Plus (Rua Paraíba, 1399, Savassi- Tel- 32878957)
Maiores Informações- 3277 7996
Patrocínio: Gerdau Açominas

terça-feira, outubro 14, 2008

Segunda com Música de Primeira

Tivemos ontem, 13/10 a oportunidade de conferir mais uma edição. Contamos com a participação de alguns dos integrantes do Rima Sambada e foi demais! Seguem as fotos e em breve os vídeos. Deus abençoe Rima! > Para ouvir: www.myspace.com/rimasambada
video

segunda-feira, outubro 13, 2008

lego










Por FiliPêra



Já postei várias coisas sobre Lego aqui no Blog (uma delas, inclusive, foi motivada pelo HumberTêra e sua incrível vontade de saber sobre o Lego gigante holandês). Não que Eu seja viciado nos bonecos em blocos, mas fico impressionado dada a quantidade de coisas possíveis de serem feitas com o brinquedo. Na verdade, praticamente tudo pode ser replicado perfeitamente, quadrado, mas perfeitamente.

Na semana passada, em Seattle, ocorreu a BrickCon 2008. E lá os fãs de Lego se deliciaram e mostraram suas maluquices criações. A campeão não poderia ser outra senão um diorama do apocalipse, com zumbis nos devorando. O nome, bem sugestivo, não poderia ser outro: Apocafest Zumbi 2008. Ah, os fãs vão se deliciar com as referências a Terra dos Mortos, filme meia boca de George Romero!

Parece bem profético para o meu gosto…